USINA DE VALORIZAÇÃO DO RSU (RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS)

Todos nós sabemos que grande parte dos resíduos domiciliares tem como destino os aterros sanitários ou os lixões. Para melhorar esta realidade a Veiga apresenta um modelo alternativo, ambientalmente correto e com viabilidade econômica.

É um modelo inovador com tecnologia 100% nacional e que vai ao encontro com todas as exigências impostas pela politica nacional de resíduos sólidos.

Funciona assim: os resíduos chegam á usina em caminhões de coleta, são depositados em um local coberto com piso impermeável evitando a contaminação do solo. Na sequencia os resíduos são conduzidos ao rasgador de sacolas por uma carregadeira, o conteúdo das sacolas é transportado por uma carregadeira onde acontece a triagem dos materiais de maior valor agregado. Após a seleção os resíduos são enfardados e repassados para as indústrias. Não havendo esta triagem a esteira funciona como fiscalizadora dos resíduos para separar objetos de grande porte ou metálicos, em seguida os rejeitos são fragmentados por um triturador industrial e conduzidos aos silos dosadores.

O próximo passo é a desidratação mecânica, realizada por um equipamento inédito que separa o material orgânico e o lodo do sintético. O lodo é encaminhado para uma usina de biogás, tecnologia sustentável que gera energia elétrica suprindo o consumo da usina. O lodo inerte resulta em um bio fertilizante de alta qualidade.

Mas o que aconteceu com a parte sintética? O sintético resultante chamado de flake tem o volume reduzido a 1/5 do seu volume inicial e pode ser armazenado para uso posterior, só esta etapa já representa grande impacto econômico e sócio ambiental positivo, além de criar condições de reutilização dos compostos resultantes como subprodutos do processo.

Numa segunda etapa o flake, basicamente plásticos e sintéticos, é transportado para um túnel secador. Após a uma peneira rotativa que separa partículas orgânicas remanescentes. Por fim é levado ao misturador que faz a plastificação, transformando os  sintéticos em um composto termoplástico, garantindo a sobrevida do material. Esse composto apresenta a possibilidade de ser reinserido no processo produtivo como matéria prima ou ser transformado em produtos de grande valor agregado através de conformação por prensa hidráulica, extrusora ou injetora.

A Veiga acredita e trabalha para apresentar solução completa para 100% do resíduo solido urbano, ampliando a cadeia produtiva, gerando trabalho, novas fontes de receita, conferindo sobrevida ás áreas de aterro e contribuindo de forma definitiva para implantação da politica nacional dos resíduos sólidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *